Entrevista Portal Mapa da Obra

O portal Mapa da Obra da Votorantim Cimentos publicou uma entrevista, concedida por mim, sobre os principais itens que a pessoa precisa considerar antes de começar sua obra ou reforma. Segue transcrição da entrevista que está disponível em: http://www.mapadaobra.com.br/Perfil_Consumidor-Final-Materia-Detalhe.aspx?Id=27

Sua obra na ponta do lápis

Um planejamento adequado é o primeiro passo para evitar imprevistos que podem tomar tempo e dinheiro durante uma obra ou reforma. Por isso, confira os principais pontos que você precisa considerar nesta etapa, de acordo com Katia Sartorelli, da empresa NaReforma, especializada na qualificação de agentes do mercado de reforma e melhoria habitacional popular, e arquiteta do escritório Okna Arquitetura e Design.

Projeto: tenha sempre um projeto em mãos, ainda que simplificado para o caso de pequenas obras. O projeto tem valor legal e serve como ferramenta para a execução adequada, além ajudar no controle dos custos e das etapas da obra.  Ele também é fundamental para pensar cuidadosamente se tudo está contemplado: instalações, acabamentos, esquadrias, etc.

Mão de obra especializada: antes de contratar, busque referências sobre a pessoa que vai executar o serviço, visite alguma obra que ela já fez ou peça indicação para pessoas de sua confiança. Faça um contrato com prazos, forma de pagamento e atividades que serão realizadas. O ideal é que o pagamento esteja atrelado às etapas da obra e a última parcela seja quitada ao final do serviço. Assim você garante a finalização do trabalho.

Relação de materiais: se você não tem um profissional encarregado de comprar os materiais, é importante ter uma lista dos materiais que vai precisar. Pesquise preços, mas não sacrifique a qualidade dos produtos.  Atenção às datas de entrega, o andamento da obra depende da disponibilidade de materiais no local. Evite atrasos fazendo um cronograma com o profissional de execução. Não se esqueça de itens como caçamba para retirada de entulho, andaimes, equipamentos de proteção, que geralmente ficam fora do orçamento, causando surpresas durante a construção ou a reforma.

Acompanhamento da obra: é importante que um profissional acompanhe a execução das principais fases do projeto ou que você mesmo esteja presente, verificando se ela  está sendo executado corretamente.

Ver pra Crer – Projeto antecipando como será o espaço

Quase no final da reforma de um apartamento no Galleria  Boulevard  – Campinas,  a cliente que é uma querida me disse: “Ou seu gosto é muito parecido com o meu ou você consegue ler  meus pensamentos”. Mega elogio para um escritório que busca sempre levar em consideração as necessidades e preferências do cliente traduzindo seus anseios no projeto.Maquete de Estudo área de lazer

Para tanto é preciso estar atento!  Neste processo é fundamental obter informações de vários modos: com reuniões  para o levantamento das necessidades, de referências de publicações da área e  outros projetos executados pelo escritório, de  visitas a lojas e fornecedores de materiais.

E para garantir a visualização do proposto utilizamos as maquetes tridimensionais. Com este recurso o cliente consegue “entrar” na construção ou no ambiente e facilmente identificar o que lhe agradou e está aprovado, ou o que o incomodou para propormos alterações. E quando ele estiver seguro que aquele projeto é o que deseja passamos para a fase de detalhamentos técnicos para execução de obra (isto eu explico em outra ocasião).

Maquete de estudo residência Santa Rosa em Itatiba.

O que importa aqui é que o modelo de estudo apresentado é muito próximo do real e não vai haver surpresas quando a obra estiver concluída. O que também evita alterações na fase de execução que implicariam em atrasos  e gastos desnecessários com materiais e mão de obra.

Maquete de Estudo Escritório Edifício Volare.

São os moradores que irão usufruir dos espaços projetados e é muito importante que suas preferências e sua personalidade estejam impressas neles para que a casa seja este lugar gostoso de estar. Um lugar igual ou melhor do que imaginaram!


Vamos a La Playa?

O calor está nos castigando! Na terça-feira (7) a cidade de São Paulo registrou a temperatura mais alta dos últimos quatro anos. Aqui em Campinas não foi diferente, no mesmo dia os termômetros registraram 35,5 graus e sensação térmica era de 31 graus.

E com tanto calor bate aquela vontade incontrolável de estar na praia. Mar, sol, descanso…  Se você tem um tempinho livre vale a pena conhecer o arquipélago de Ilhabela no litoral Norte de São  Paulo  e se hospedar no Hotel Abayomi, este das fotos deste artigo tiradas por Ronaldo Rizutti. O nome do Hotel quer dizer Encontro Feliz e é isto que irá desfrutar.
O Projeto de Ambientação de Interiores foi executado por nosso escritório Okna Arquitetura e Design e contou com a parceria para implantação de interiores da Studio Contract. O projeto de Arquitetura e Construção é do Arquiteto Sinato Faria, que contou ainda com a assessoria de projeto luminotécnico da Light design-  Karina Brandão, paisagismo de Felipe Mascarenhas e  auxilio do arquiteto Paulo Soares (Pan) da Lasca Móveis e decorações.

Com que piso eu vou?

Sempre que falamos sobre a escolha do piso em nossas reuniões com os clientes há muitas questões: Qual a diferença do piso cerâmico e do porcelanato? Qual melhor acabamento: polido ou natural? Que piso tem maior durabilidade? Posso usar um piso de tamanho grande em um espaço pequeno? Então, resolvi inaugurar nosso papo no Blog falando do que usar para vestir o chão de nossos lares!

Um pouco de técnica

O Piso Cerâmico tradicional é produzido com uma massa de argilas levadas ao forno com temperaturas de até 1 150 ºC. Depois de secas as placas recebem uma camada de pintura esmalte decorativa.

Já o Porcelanato é um piso produzido com uma massa de materiais nobres, mais densa que a da cerâmica comum. Além disso, a produção com prensas hidráulicas de altíssima pressão e queima em temperaturas superiores a 1200ºC garantem baixa porosidade.

Por sua baixa  absorção de água o porcelanato apresenta alta resistência aos impactos, maior durabilidade e baixa expansão por hidratação (não descolam se assentados adequadamente).

Sobre os tipos de porcelanato, os principais são o técnico e o esmaltado. A diferença é que o primeiro é produzido a partir de uma massa pigmentada com corantes e o esmaltado tem a face revestida de esmalte após a produção da peça – por receber acabamento posterior, a produção é mais suscetível a riscos e trincas.

E qual é a diferença entre o porcelanato natural, acetinado e o polido? Estes nomes estão associados ao acabamento da peça – ao seu “visual”.  Tanto o porcelanato técnico quanto o esmaltado podem apresentar as três versões. A versão natural tem o aspecto mais rústico e sem brilho, a acetinada tem semi-brilho e a polida foi feita para brilhar!

Um pouco de prática

Quanto ao tamanho das peças, o mercado apresenta pisos em formatos cada vez maiores. Só temos que tomar cuidado com o assentamento de peças muito grandes em ambientes pequenos! Por exemplo, para direcionar a  água para um ralo  em um  banheiro: se uma única peça de piso cobrir toda a superfície do chão, é difícil ajustar o caimento.

Mas qual o melhor tamanho para usar em sua casa?  Para escolher você pode pensar na paginação do piso: a forma que ele será assentado, qual o melhor local para começar o assentamento, onde ficarão os recortes e que dimensão garantirá menor perda de material. Placas assentadas na diagonal têm uma quantidade de perda maior que as assentadas na forma tradicional.

Você pode escolher também peças retificadas que passam por um processo de retifica, onde suas dimensões finais são precisas com bordas bem retas. Isso permite o uso de juntas de assentamento com menor espessura (aqueles riscos onde colocamos a massa de rejunte) além do efeito estético melhor, também diminui o acumulo de sujeira nos encontros.

É  muito importante contratar uma mão de obra especializada para a  instalação para um bom resultado final. Peça indicações para quem já utilizou estes serviços.

Um pouco de Estética

Agora que você já sabe bastante sobre pisos, pode procurar um modelo para chamar de seu. A boa notícia é que há grande  variedade de cores, texturas, padrões. Tem até os que reproduzem  materiais, como: madeira, cimento queimado, mármore, etc.

Tem com brilho, natural, com dimensões e preços variados. Pesquise sobre a marca e procure referências – nem todos os pisos do mercado são maravilhosos, a variedade trouxe também opções ruins bem disfarçadas. E tenha em mente que o bom piso é aquele que atende a sua necessidade com a aparência que lhe agrada. Escolha o seu!